06 Sep 2021

IDC aponta as ondas de investimento em infraestrutura de TI para os próximos 5 anos





IDC aponta as ondas de investimento em infraestrutura de TI para os próximos 5 anos



  • Em 2022, 65% do Produto Interno Bruto global será impactado pela digitalização



  • 30% do faturamento das empresas pesquisadas pela IDC na América Latina, vem de produtos, serviços e/ ou experiências digitais



  • 75% das organizações pesquisadas globalmente acreditam que a equipe de operações de TI crescerá em um ritmo mais lento do que o necessário, dado o rápido aumento na adoção de novos aplicativos



América Latina, 6 de setembro de 2021 - Os próximos passos no caminho da transformação digital das organizações determinarão seu crescimento e sobrevivência em um mercado cada vez mais competitivo e que exige inovação constante. “Nos últimos meses, a adoção de infraestrutura como serviço (IaaS) e plataforma como serviço (PaaS) cresceu 30% apontando para a busca por soluções flexíveis que permitam novos processos de negócios e respostas ágeis às necessidades das operações”, disse Edgar Fierro, vice-presidente e diretor geral da IDC México, a principal empresa de pesquisa na indústria de tecnologia da informação, durante o IDC Digital Forum of Infrastructure LATAM realizado em 26 de agosto.

A IDC prevê que, em 2022, 65% do Produto Interno Bruto global será impactado pela digitalização. Na palestra "A infraestrutura digital do futuro: navegando pelos ventos cruzados da primeira indústria digital", Mary Johnston Turner, vice-presidente de pesquisa para a agenda do futuro da infraestrutura digital da IDC em todo o mundo, observou que as organizações estão integrando o data center tradicional a outros recursos, como nuvens privadas, de borda, nuvens públicas e infraestrutura como serviço.



Nos próximos cinco anos, a infraestrutura digital se afastará gradualmente dos silos de processamento em direção a recursos compartilhados na nuvem e edge computing. “As empresas vão adotar um ambiente mais escalonável, investindo em operações autônomas e contratando infraestrutura na modalidade de atendimento baseado no consumo”, disse Turner.

O estudo The Future of Digital Infrastructure Agenda Q2 Survey 2021, realizado em junho deste ano, mostra que 81% das empresas planejam usar um modelo de computação por contêineres e kubernetes (um ambiente que compartilha um único host de sistemas de controle e proteção) nos próximos dois anos. Para 41% das organizações, o aplicativo de contêiner será estratégico e levará alguns anos para ser totalmente implementado

    Mudanças na infraestrutura de TI e no processo de digitalização afetarão a contratação de recursos humanos, e 75% das organizações consideram que a equipe de operações de TI crescerá a um ritmo mais lento do que o necessário devido ao rápido aumento na adoção de novos aplicativos.

Essa transição estratégica requer mudanças em cinco áreas principais: indicadores-chave de desempenho (KPIs), financiamento, arquitetura, operações e gerenciamento. “As métricas de desempenho serão focadas nos resultados por área, o orçamento cobrirá serviços de acordo com o consumo, haverá adoção de plataformas nativas na nuvem e operações cada vez mais autônomas”, disse Turner.

Segundo 71% das empresas entrevistas pela IDC, a resiliência da infraestrutura digital será uma das principais prioridades nos próximos dois anos, garantindo a capacidade de adaptação da organização no longo prazo e o sucesso do negócio. Entre as tendências apontadas pelo estudo estão o trabalho com equipes otimizadas, a integração de sistemas baseados em dados, o consumo de recursos de forma colaborativa e a otimização de resultados por meio de serviços em nuvem e pay-per-use.

Juan Pablo Seminara, gerente de programas de negócios da IDC Latin America, mencionou que a resiliência digital é a capacidade das empresas de se adaptarem rapidamente às interrupções de negócios para não apenas permanecerem “à tona”, mas também para capitalizarem sobre as mudanças nas condições de mercado, e tudo isso com base em tecnologia que lhes permita oferecer serviços, produtos e experiências digitais.

Em pesquisa realizada no final do ano passado com empresas com mais de 100 funcionários na região, elas disseram que, em 2020, 30% do seu faturamento já vinha de produtos, serviços e/ ou experiências digitais, com expectativa de atingir mais de 40% do seu faturamento até 2025. Esta transformação acelerada tem sido sustentada principalmente por uma demanda dos clientes por mais canais digitais e, em segundo plano, pelo interesse das empresas em serem mais disruptivas em seus mercados.

Para alcançar uma gestão simples e segura de infraestrutura que permita este crescimento digital e ao mesmo tempo se tornar sustentável e rentável, é imprescindível ter uma infraestrutura que possa ser consumida como serviço. De acordo com o IDC 2020 Q1 WW Cloud Infrastructure Tracker Historical and Forecast publicado em julho deste ano, 25% dos equipamentos adquiridos na região em 2021 são destinados a implantações de nuvem privada, 16% para nuvem pública, enquanto o restante ainda permanece em usos mais tradicionais. No entanto, dada a aceleração esperada na adoção de esquemas como serviço, a IDC espera que as implantações de nuvem privada e pública atinjam 53% do total de compras até 2025.



Segundo a IDC, entre as três principais prioridades da agenda do CIO para este ano, a segurança foi apontada por 60% dos entrevistados, a nuvem por 41% e a análise de Big Data/ Business Intelligence por 35%. As empresas da região perceberam que, por um lado, a digitalização acelerada aumentou as vulnerabilidades e, por outro, levou à adoção de mais opções como serviço, ao mesmo tempo que aumentou a necessidade de extrair valor da informação digital disponível.

    O IDC Digital Forum of Infrastructure LATAM encerrou com um RoadShow que teve encontros digitais no México, Chile e Brasil. Esta edição contou com a participação de empresas relevantes do setor como Coursera, Progress Software, Pure Storage, Oracle Cloud, McAfee Enterprise, Hitachi Vantara, SUSE, Veeam, ST Computación, Red Han, Juniper Networks e Confluent .



Para ouvir as apresentações do IDC realizadas neste fórum, clique nos links abaixo.





Sobre a IDC -International Data Corporation (IDC) é líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e eventos para os mercados de tecnologia da informação, telecomunicações e tecnologia de consumo. Com mais de 1.100 analistas em todo o mundo, a IDC fornece conhecimentos globais, regionais e locais sobre tendências e oportunidades em tecnologia e indústria em 110 países.A análise e o conhecimento da IDC ajudam os profissionais de TI, executivos e a comunidade de investimentos a tomar decisões fundamentadas sobre a tecnologia e atingir os principais objetivos comerciais. Fundada em 1964, a IDC é uma subsidiária da IDG, a principal empresa de tecnologia, pesquisa e mídia de eventos do mundo.



Para saber mais sobre IDC, visite www.idc.com e www.idclatin.com



Siga a IDC no LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/IDC-Latin-America

Coverage